Fim da temporada Lidgate

Lidgate

Lidgate, no Reino Unido

Halloween em Lidgate

Fiesta de Halloween em Lidgate

Faz dois meses que trabalho de garçonete num lindo restaurante histórico e já tem algumas semanas que o casal do Sul da África deixou de trabalhar conosco. Por um lado o ambiente melhorou 100%. Por outro, tive que trabalhar mais. No início, entendi como é difícil a arte de ensinar.

Todos somos diferentes e é difícil fazer com que tudo funcione como antes com os novos funcionários, ainda que isso não justifica tratá-los mal. Eu, definitivamente, aprendo fácil. E em muitos momentos lembrava das teorias da Comunicação que falam que o novo repórter é induzido a ser como os antigos por la disciplina do trabalho.

Em realidade, agora, posso dizer, que isso ocorre em todas as profissões. Aprendemos vendo e seguindo a estrutura que é ensinada pelos mais antigos. Podemos incluso fazer melhor do que eles com o tempo.

Isso porque logo quando já fazemos as tarefas automáticamente, se temos liberdade, modificamos a maneira de fazê-las. Mas, enfim, algumas pessoas aprendem e outras definitivamente não se enquadram.

Assim é a vida! Por isso mesmo existe uma multiplicidade de trabalho. Pelas experiências que tive, posso dizer que sou capaz de fazer qualquer trabalho bem feito e me orgulho disso.

Mas, chega um momento que a vontade de fazer bem feito faz com que sejamos explorados. Foi assim que me senti nestas semanas que fui barman e garçonete; com alguma ajuda, tive que fazer o trabalho de três pessoas.

Acho lindo o restaurante e a vila. É como se tivesse ido de férias para uma fazenda, onde se pode descobrir outro mundo. Está aqui me fez recordar a minha infância em família.

Eu cresci junto aos meus seis irmãos. É normal ter divergências na convivência de oito pessoas numa mesma casa. Só que quando é família tudo é mais fácil e compreensível. Assim,  já estando no meu limite, porém com vontade de aprender mais inglês, o acontecimento de hoje marca o fim desta fase.

Comento que os funcionários do restaurante vivem numa mesma casa ou no próprio restaurante. Vivem juntas pessoas de diferentes nacionalidades. Logicamente, a maneira de pensar e reagir de cada um é muito diferente, pelo menos no início.

Ao viver fora do país de origem, com o tempo vamos nos acostumando com a nova cultura, ou, senão, voltamos pra casa. Pois, então, depois de uma falha e estresse por falta de pessoal, um louco quase russo teve literalmente vontade de me estrangular.

Definitivamente, me fez ver que é hora de ir pra casa. Ainda não tenho claro onde é a minha casa, depois de 3 anos fora do Brasil, com namorado e amigos pelo mundo é difícil querer voltar para o mesmo lugar de onde você saiu.

Mas, contudo, não vale a pena arriscar a vida ou se matar de tanto trabalhar para aprender inglês. Assim, terei que encontrar outra maneira de aprendê-lo.

Com certeza, depois de dois meses nesta vila falo e entendo melhor o inglês. Ainda necessitarei muito mais tempo para dominá-lo. No entanto, é hora de priorizar outros pontos da vida. Espero seguir tendo sorte na minha nova rota.

Anúncios

2 thoughts on “Fim da temporada Lidgate

Envia uma mensagem

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s